Search Icon
Marionet Logo
Menu Icon
Ensaios/ Estudo

Cyborg theatre – corporeal / technological intersections in multimedia performance

Partilhar
test
TÍTULO
Cyborg theatre – corporeal / technological intersections in multimedia performance
AUTORES(AS)

Jennifer Parker-Starbuck

SINOPSE

Cyborg Theatre investiga o papel dos corpos dentro do campo em expansão da performance multimédia. Este estudo inovador articula pela primeira vez um contexto teórico para um “teatro cyborg” integrando metaforicamente os corpos em cena com aqueles tecnologizados, digitalizados ou mediatizados, para fazer uma reinvenção radical da subjectividade nesta era pós-humana. Parker-Starbuck cobre uma variedade de exemplos provocadores, tanto históricos como contemporâneos, para propor novas ferramentas teóricas para a compreensão da performance num mundo em mudança. Oferece um convincente argumento de inspiração feminista para as formas através das quais um conjunto de corpos ao aparecer em palco com novas tecnologias servem para desafiar noções de identidade e destabilizar binómios históricos. Através de um leque de lentes críticas, Cyborg Theatreconsidera a forma como os corpos estão já integrados com a tecnologia e as questões que isto levanta na e através da performance.

DISPONIBILIDADE
Disponível
ANO
2011
ISBN
978-1-4039-4443-6
TIPOLOGIA
Ensaios/ Estudo
EDITORA
Palgrave Macmillan
biografia

Jennifer Parker-Starbuck

A Professora Jennifer Parker-Starbuck é directora da School of Performing Arts and Digital Mediada Royal Holloway, Universidade de Londres. É autora de Cyborg Theatre: Corporeal/Technological Intersections in Multimedia Performance (Palgrave Macmillan, 2011, paperback 2014), Performance and Media: Taxonomies for a Changing Field (em co-autoria com Bay-Cheng e Saltz, University of Michigan Press, 2015), e foi co-editora de Performing Animality: Animals in Performance Practices, (Palgrave, 2015). O seu “Animal Ontologies and Media Representations: Robotics, Puppets, and the Real of War Horse” (Theatre Journal, Vol. 65, Number 3, October 2013) recebeu o prémio ATHE de 2014 para Artigo de Excelência. Foi editora do Theatre Journal de 2015 a 2019 e contribui como editora para o PAJ, e o International Journal of Performing Arts and Digital Media. É Líder de Tema na Story Lab, um ramo do Programa StoryFutures da Creative Clusters financiado pela ARHC.

O trabalho dela tem-se focado nas implicações históricas e teóricas dos new media/multimédia, e a sua relação com o corpo na performance. Este trabalho com multimédia expandiu-se para incluir trabalho sobre performance cyborg, trauma e memória na performance, dis/abilidade na performance, feminismo, práticas artísticas ao vivo, e animalidade e o não-humano. Estudou o teatro avant-garde e experimental quer na teoria quer na prática e é graduada pela Tisch School of the Arts da NYU, onde estudou na Ala de Teatro Experimental, e no programa de Encenação. Também tem interesse nas práticas e aplicações da interpretação, encenação e criação teatral contemporanea, assim como na performance Americana e Europeia contemporanea.

Menu Icon