Search Icon
Marionet Logo
Menu Icon
Ensaios/ Estudo

Lectures de Tom Stoppard: Arcadia

Partilhar
test
TÍTULO
Lectures de Tom Stoppard: Arcadia
AUTORES(AS)

Aloysia Rousseau
Christopher Innes
Daniel Keith Jernigan
Éloise Veyrières
Françoise Gillard
Joan MacIntosh
John Fleming
Joshua Nunn
Julie Vatain
Laurent Bury
Laurent Châtel
Liliane Campos
Lord May
R. Darren Gobert
Séverine Ruset

SINOPSE

Esta obra propõe um série de artigos e ensaios enquanto pontos de entrada na dramaturgia erudita de Stoppard. A primeira parte é consgrada ao contexto. Estuda o lugar de Arcadia na obra de Stoppard, antes de começar a esclarecer sobre a estética dos jardins ingleses, sobre a personagem de Lord Byron e sobre as noções científicas manipuladas pelo autor.

A segunda parte propõe uma série de esclarecimentos a partir de questões temáticas e formais, desde a estrutura de conjunto da peça, até aos seus jogos de linguagem. Abordam-se questões da epistemologia, das relações entre linguagem e sexualidade, da complexidade temporal da obra, do lugar que nela têm os objectos ou mesmo do paradigma da tradução e da reversibilidade. Uma terceira parte é dedicada à obra em cena, na forma de análises e de ensaios. A criação teatral é aqui abordada a partir dos pontos de vista variados de um interlocutor científico de Stoppard, de uma actriz, de um encenador e de um espectador.

DISPONIBILIDADE
Disponível
ANO
2011
ISBN
978-2-7535-1413-3
TIPOLOGIA
Ensaios/ Estudo
EDITORA
Presses universitaires de Rennes (Collection: Didact Anglais)
biografia

Liliane Campos

Professora, no departamento de Estudos Anglófonos da Universidade la Sorbonne Nouvelle – Paris 3, de estudos literários e teatrais, tem particular interesse na literatura anglófona contemporânea, na perspectiva biológica na literatura e nas intromissões do vivo na arte contemporânea. É também mestre de conferências em estudos aglófonos e teatrais.

Nas suas próprias palavras: “O meu projecto explora a posição biológica assumida pela literatura contemporânea, no fim do século XX e início do século XXI, de um ponto de vista estético, epistémico e ético. A hipótese central é que as imagens e discursos das ciências da vida são produtoras, em literatura, de mudanças de  escala, modificando a nossa percepção do humano. Trata-se de medir o papel hermenêutico destas perturbações, as uestões políticas que levantam, e os seus efeitos na forma literária. A minha pesquisa pessoal centra-se na literatura anglófona, dos anos 80 aos nossos dias, e inscreve-se num programa de encontros que abordam a literatura contemporânea num contexto internacional e interartístico.”

Menu Icon